O Rei da Digitação

Se você acha que, no currículo do professor Puntel, só tem 40 anos de sala de aula, mais de 250 mil redações corrigidas e milhares de alunos que ganharam voz no Curso de Oratória, acho bom você ler este texto até o fim.

Se não, você não vai saber que ele tem até calo nos dedos – das mãos, lógico! – de tanto digitar. Sim, ele é o Rei da Digitação, de tanto que já escreveu na vida! Já já, você rola a tela e comprova esta verdade.

Abaixo, estão os romances juvenis que escreveu para a série Vaga-lume, da Editora Ática, para a Editora Palavra Mágica e a coleção Curumim, para a Editora Atual. Agora, sim, role a tela. E quero ver você fazendo carinha de ÓÓÓÓ, tá?

Editora Ática

No final dos anos 60, Marcão e sua família, por motivos políticos, partem para o exílio. Passando pela Bolívia e posteriormente Chile, acabam conseguindo salvo-conduto para a França, onde vivem até que a anistia seja assinada. Um romance que analisa todo o conturbado panorama político brasileiro dos anos 70.

Editora Ática

Em l984, os boias-frias da cidade de Guariba, a 60 km de Ribeirão Preto, cruzaram os braços. Numa greve que rapidamente se espalhou pelo Brasil todo, reivindicavam o óbvio: carteira assinada, transporte seguro, melhores condições de trabalho.

Baseando-se na greve de Guariba, Luiz Puntel narra a luta de Marta, uma jovem boia-fria que quer mostrar ao pai o valor da mulher do campo. Um livro que discute a luta dos trabalhadores rurais, mas, como queria Che Guevara, “sem perder a ternura jamais!”

Editora Ática

Quem diria, um recém-nascido acaba de desaparecer da maternidade! O que aconteceu? Para onde foi levado? A partir deste intrigante começo, Luiz Puntel escreveu este livro – uma história eletrizante, que vai empolgar os leitores com as peripécias de Aquiles, repórter de televisão, e Flávia, sua namorada. Empenhados em desvendar o misterioso desaparecimento de bebês, eles seguem todas as pistas e descobrem o sórdido mundo do comércio de bebês, que são enviados clandestinamente para a Europa por quadrilhas muito bem montadas.

Editora Ática

“Um elefante incomoda muita gente”. “Um leão incomoda muito mais”.… É o que Danilo descobre ao adotar um leãozinho como seu bicho de estimação. O sonho de Danilo era ter um animal de estimação. Mas ninguém esperava que ele fosse escolher justamente… um leão!

A vizinhança não quer saber da “fera” por perto, mas o menino não está disposto a abrir mão do mascote. O resultado é uma aventura emocionante, em que Luiz Puntel mostra a união comovente entre os protagonistas desta linda história.

Editora Ática

Os habitantes do Beco do Deus-me-livre quase ficaram num beco sem saída. Para se livrar dos barbeiros que invadiram a região, precisaram incendiá-lo, com as casas e tudo. Mas havia algo de estranho naquela praga de insetos. Tinho, um jovem do beco, é acusado de um crime que não cometeu.

Ajudado pelos integrantes de um grupo pacifista, consegue provar quem está por trás do terror instalado na expulsão dos favelados do Beco do Deus-me-livre, denunciando os interesses escusos de uma incorporadora imobiliária sem escrúpulos.

Editora Ática

Decepcionada com o fracasso nos vestibulares, Mônica decide se aventurar na terra de seus avós, o Japão. Parte para o outro lado do mundo, levando na bagagem um sonho a ser realizado.

Na procura pelo avô, Mônica vai trabalhar como dekassegui, descobrindo suas raízes e os costumes japoneses, e recebe a ajuda de Mário, seu grande aliado nos momentos mais difíceis da viagem. No final, ao pé de uma cerejeira em flor, sua missão estaria cumprida.

Editora Ática

Morando numa favela lá pros lados do Capão Redondo, periferia de São Paulo, Toninho leva uma vida difícil. Órfão desde muito cedo, trabalha para ajudar sua mãe e sua irmã, convivendo diariamente com a pobreza, o desemprego, a criminalidade.

Nem por isso deixa de se divertir. Com seus amigos Gera e Beó adora pichar muros e paredes, deixando a marca da turma pela cidade.

A alegria rápida do spray, contudo, vai perdendo a graça à medida que Toninho entra em contato com ativistas do movimento hip hop (rappers, grafiteiros, educadores). Aqui você vai acompanhar os passos dessa descoberta, o percurso de um grito que nasce da indignação.

Editora Ática

O livro conta a história do menino que, em cinco anos, tornou-se mania mundial. Biografia narrada do ponte de vista do biografado, como se fosse a sua maneira de contar a própria história, com sua terminologia, visão, certa humildade, humor. Sem querer mostrar conhecimentos gerais e históricos, comparando, relacionando, situando, fazendo tese.

No fundo, a história de Ronaldinho é a mostra de como uma arte feita de talento, criatividade, intuição, habilidade, tem sido “desumanizada” pela tecnologia de esquemas. O grande jogador do final do século, do início do novo milênio é a pureza, o espírito, a capacidade de fazer poesia com a bola nos pés, a inventividade, surpresa, agudeza. É a molecagem que anda fazendo falta, é a graça e não o carrinho brutal, tão em moda´ – Ignácio de Loyola Brandão.

Editora Ática

No final dos anos 60, Marcão e sua família, por motivos políticos, partem para o exílio. Passando pela Bolívia e posteriormente Chile, acabam conseguindo salvo-conduto para a França, onde vivem até que a anistia seja assinada. Um romance que analisa todo o conturbado panorama político brasileiro dos anos 70.

Coleção Curumim – de 1ª a 4ª série do Fundamental – Editora Ática

 

Esta obra, escrita a quatro mãos, com a parceria de Fátima Chaguri, possibilita uma prática em sala de aula de acordo com as novas propostas de ensino da língua, enfatizando a leitura, a interpretação e a produção de textos escritos e orais e a análise linguística.

fale com puntel

Entre em contato!

Av. Senador César Vergueiro, 590
Jardim Irajá | Ribeirão Preto-SP