Crônicas do Puntel

Eu Digo Digo ou Digo Diogo?


Churchill disse o que disse, ou não disse o que disseram que ele disse?

Luiz Puntel | ACidadeON/Ribeirao

    No tempo em que existiam máquinas de escrever, sabia-se que não se podia rasurar um texto oficial. Isso acontecia muito, por exemplo, nos cartórios. Por isso, era comum se escrever "digo" logo após o erro. Havia mesmo uma piada de um datilógrafo que se enrolou todo com o tal "digo". Ele ia escrever o nome de alguém, cãofundiu-se e mandou ver: "Quando digo digo, não digo digo, mas digo Diogo". 
    Essa imagem, do datilógrafo trapalhão, me veio à mente ao checar uma frase famosa, que teria sido dita por Churchill. Em tempos de internet, não mais de máquinas de escrever, é um tal de dizer que fulano disse o que não disse, falou o que não falou, escreveu o que não escreveu, não é mesmo? É a repaginação moderninha do "quando digo digo, não digo digo, mas digo Diogo" 
    Está lá na internet uma frase bombástica de Churchill, que já foi também atribuída a Lincoln, a Martin Luther, até a Gandhi. Na verdade, nem Churchill falou, nem ninguém falou isso! Mas, vamos a ela: "O sucesso é ir de fracasso em fracasso, sem perder o entusiasmo". 
O bom é que, se um bando de internautas criam frases fakes, um outro bando de internautas estão em pé e à ordem para não deixar a gente compartilhar o que nunca se disse.     Procurando aqui e ali, fui parar numa página do escritor Richard Langworth. Ele escreveu simplesmente mais de dez livros sobre o primeiro-ministro britânico e prêmio Nobel de Literatura de 1953. E foi fundador e presidente de revistas e sociedades que analisam tudo o que Churchill fez, não fez ou ficou de fazer. 
    Em um desses livros, o "Winston Churchill, mito e realidade, o que realmente fez e disse", Langworth afirma que Churchill escreveu muito, falou muito, inclusive sobre a palavra sucesso, mas nada do bombástico "sucesso é ir de fracasso em fracasso, sem perder o entusiasmo". 
    O que ele disse, no dia 26 de fevereiro de 1946, na Universidade de Miami, quando foi receber um diploma de honra, é que ele ficava surpreso em receber, como adulto, tantos diplomas, logo ele que, na infância e juventude, era péssimo em exames. E acha mesmo que podia dizer que ninguém passou em tão poucos exames, mas recebeu tantos diplomas. E brinca, afirmando que um pensador superficial poderia dizer que "a maneira de obter mais diplomas é falhar na maioria dos exames". Será que ele já imaginava que um dia iria existir internet e publicarem frases fakes como essa a seu respeito? 
    E era péssimo mesmo em exames. Quem ler sobre sua infância e juventude encontrará um menino que vivia em internatos, longe dos pais, bagunçado e baguncento, levando chicotadas na bunda para endireitar. Para entrar na academia militar, fez uma, duas e só na terceira tentativa é que conseguiu entrar no corpo de cavalaria, não do de infantaria, o que fez com que seu pai, mais uma vez, o visse como um fracassado. 
    Mas, ainda no discurso de Miami, Churchill diz em seguida ao falar de seus fracassos escolares e ter recebido tanto diploma depois de adulto, que afirmar que "a maneira de obter mais diplomas é falhar na maioria dos exames", não seria tão edificante e que resolveu logo traçar outra moral com a qual tinha certeza de que todos estariam de acordo. E qual é a moral que ele traçou? A de que nenhum menino ou menina nunca deve desanimar com a falta de sucesso em sua juventude, mas deve diligente e fielmente perseverar e compensar o tempo perdido. 
    Portanto, onde ele disse que disse que o "sucesso é ir de fracasso em fracasso, sem perder o entusiasmo", ele não disse, porque disseram que ele disse o que não disse, visse?  
-----------------------------------
Puntel, investigando se Dom Pedro disse mesmo "Independência ou morte!"



Faça download da crônica.

 

(16) 3623-6199

Av. Senador César Vergueiro, 590 - Jardim Irajá - Ribeirão Preto/SP