Crônicas do Puntel

Ninguém quer ser professor


E nada melhor para homenagear a classe dos mestres que um poeta; Faço minhas as palavras do belíssimo texto do poeta Fabrício Carpinejar

Luiz Puntel | ACidadeON/Ribeirao

Há um mês, comemorou-se o Dia do Professor. E nada melhor para homenagear a classe dos mestres que um poeta. Por isso, faço minhas as palavras do belíssimo texto do poeta Fabrício Carpinejar. Abramos aspas:  


*****  

"Um professor sempre será melhor que o Google. Porque o professor não dá uma informação, conta histórias. Porque o professor funciona mesmo sem Wi-Fi, mesmo sem luz, mesmo no temporal. Porque o professor não facilita a busca, exercita a memória. Porque o professor não cria dependência, mas possibilita amizades. Porque o professor pode mudar o destino de um assunto, voltar atrás, recomeçar de novo, dependendo das necessidades da turma. Porque o professor não realiza só o que você deseja, vai além com detalhes e comparações. Porque o professor lê a sua alma quando levanta o dedo para a pergunta, não apenas recebe uma dúvida. Porque o professor também se importa com aquilo que não entendeu mais do que aquilo que quis perguntar. Porque o professor escolhe falar do que ama. Você não está apenas tendo uma aula sobre um conteúdo, e sim testemunhando uma história de amor. Porque o professor não coloca o seu salário acima da vocação, não coloca as circunstâncias acima dos indivíduos. Porque o professor não julga, é todo feito para compreender, e enxerga a nota como um retrato provisório de sua curiosidade. Aposta na recuperação milagrosa quando nem mais a família tem esperança. Porque o professor não pratica nenhuma competição, não patenteia as suas frases, não sonega o que viveu, repassa tudo o que assimilou na carreira. Porque o professor vislumbra o que você pode vir a ser, não se fixa em sua idade. Porque o professor já foi aluno e entende que a atenção é resultado da confiança. Porque, quando dá as costas, o professor continua enxergando com os ouvidos. Porque o professor não tem pressa, já que cada um tem o seu ritmo. Porque o professor não é onipotente. Faz humor quando erra. Você aprende a ser humano como ele. Porque o professor fica feliz quando alguém demonstra saber mais do que ele. Porque o professor realiza trabalhos em grupo para os alunos se admirarem pelo conhecimento. Porque o professor cede o seu espaço para apresentações, torcendo para que um aluno goste de ser professor no futuro. Porque o professor sofre com elegância. Nunca saberá quando está triste. Ele inspira a seguir adiante ainda que sem ânimo, a não parar a rotina devido a algum descontentamento". 


Vale a pena, para fazer o contraponto com este texto, assistir a um vídeo. Bora pro Youtube? Bota lá "ninguém quer ser professor" e pasmem!


______________________________  


Puntel, lembrando que Guimarães Rosa dizia que "mestre não é quem ensina, mas quem, de repente, aprende."

fonte: ACidadeON


Faça download da crônica.

 

(16) 3623-6199

Av. Senador César Vergueiro, 590 - Jardim Irajá - Ribeirão Preto/SP