Crônicas do Puntel

Enem: 'Copiar' ou 'usar' a coletânea?


Os candidatos, repito, têm de ler, saber interpretar e usar os argumentos da coletânea na confecção da argumentação

Em todas as provas de Redação do ENEM, há a seguinte expressão: "A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos adquiridos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema" (...).  

Repito: "em todas as provas de Redação do ENEM" há essa expressão". Acreditem! Nem é preciso confirmar. Os redatores experientes sabem o que a expressão "a partir da leitura " significa que os candidatos devem "começar pela leitura dos textos motivadores" (...). Mas, o que milhões de redatores inexperientes erroneamente fazem? Acham que os textos motivadores não devem ser levados em conta. Sabem o que eles dizem? "Meu professor falou que não se deve nem olhar para a coletânea". E completam: "não se pode correr o risco de copiar os textos."  

Eu não sei de onde os "gênios" tiraram a primeira parte. Quanto à segunda, o professor tem razão. Não se deve copiar jamais. Toda prova de redação de vestibular é um exercício de "leitura", "interpretação" e "escrita". O próprio manual deixa claro: "Não copie trechos dos textos motivadores. Eles foram apresentados apenas para despertar seus conhecimentos sobre o tema."  

De novo, os candidatos devem ler os três ou quatro textos motivadores, saber interpretá-los, selecionar argumentos ali expostos e, ao escrever, relacioná-los para sustentar a discussão do problema dado. O que gera certa dúvida é o seguinte: no Manual do NEM, que se chama "Cartilha do Participante", está explícito para que o candidato "evite ficar preso às ideias desenvolvidas nos textos motivadores, porque foram apresentadas apenas para despertar uma reflexão sobre o tema". "Despertar reflexão" deve ser entendido, na linguagem dos jovens, como "se ligar no que estão pedindo para dissertar". Mesmo porque, logo em seguida, o manual explicita: "Não copie trechos dos textos motivadores. Eles foram apresentados apenas para despertar seus conhecimentos sobre o tema. Além disso, a recorrência de cópia é avaliada negativamente e fará com que seu texto tenha uma pontuação mais baixa." Entenderam, leitores, por qual motivo milhões de candidatos, equivocadamente, entendem que não devem nem se valer dos argumentos expostos nos textos motivadores?  

Para terminar, "copiar" não é "usar" os argumentos do texto dado. Os candidatos, repito, têm de ler, saber interpretar e "usar" os argumentos da coletânea na confecção da argumentação. Querem um exemplo? Ano passado, havia um quadro estatístico sobre o uso da internet pelos brasileiros. Este é mais um fator que muitos desconhecem. Em todas as provas de redação do ENEM há um gráfico, há dados a serem usados. Muito bem! 

Ano passado, havia, no texto 3, a informação de que 64,7% de pessoas acima de 10 anos, no Brasil, utilizam a internet. Ou seja, apenas 36% de brasileiros não se valem da internet. E qual era o tema? "Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet". Ora, os candidatos experientes, diante desse dado, souberam provar que, se a maioria dos brasileiros está conectada, é evidente que se está sujeito, ou seja, vulnerável à manipulação do sistema cibernético. Perceberam como é óbvio que a expressão "a partir dos textos motivadores" exige leitura, interpretação e uso dos argumentos ali expostos?  

---------------------
Puntel, contando nos dedos os dias que faltam para o ENEM.

fonte: ACidadeOn

Faça download da crônica.

 

(16) 3623-6199

Av. Senador César Vergueiro, 590 - Jardim Irajá - Ribeirão Preto/SP