Crônicas do Puntel

O Enem será digital?


Já que perguntar não ofende: há condições físicas das escolas brasileiras, onde as provas do Enem são realizadas, para este salto qualitativo?


Luiz Puntel | ACidadeON/Ribeirao

Os docentes que militam, e jamais se limitam no Ensino Médio, foram surpreendidos, nesta semana, por uma pergunta no mínimo questionadora. Os candidatos ao Enem questionaram os professores se o concurso deste ano vai ser digital. Os mestres que souberam, na quarta-feira, a respeito da resolução do MEC, não tiveram dificuldade em explicar que, se houver mudanças, será para o ano que vem.  

E tomo a liberdade de colocar mudanças no condicional "se", porque nada de concreto está efetivado. Trata-se, inicialmente, de uma proposta governamental. Como Camões já constatou que "mudam-se os tempos, mudam-se as vontades" e, como constatamos que, se os ministros mudam, mudam-se as regras, aguardemos pela concretização deste avanço educacional.  

Mas, vamos à proposta governamental. Segundo declaração feita na quarta-feira pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, o ENEM do ano que vem terá uma versão digital. O presidente do INEP, Alexandre Lopes, completa a ousada proposta: "Este ano, a aplicação do Enem é normal, em papel, mas vamos começar o preparativo para o piloto digital em 2020".  
Diante das dúvidas de como esse milagre se dará, Abraham Weintraub afirma: "O MEC não irá comprar computadores para fazer o Enem digital. A gente vai usar as bases já instaladas nas unidades de ensino", esclarece e acrescenta que a empresa que "for" contratada para a realização da aplicação do Enem no ano que vem será responsável por toda a infra do exame, desde local de prova, fiscais de sala, computadores, etc. "For", não é demais lembrar, é futuro do subjuntivo, talkei?  

Repita-se que a proposta é ousada. E ousada porque há inclusão digital suficiente da juventude brasileira que chega ao Enem? Há inclusão digital dos professores da rede pública de ensino? Mais uma pergunta, já que perguntar não ofende: há condições físicas das escolas brasileiras, onde as provas do Enem são realizadas, para este salto qualitativo? Bom número de escolas públicas, tanto municipais como estaduais, não contam nem com estruturas físicas adequadas, contarão com "bases instaladas em suas unidades de ensino", como diz o ministro?  

Aqui mesmo, em Ribeirão Preto, escolas foram fechadas por falta de "habitabilidade", já que em péssimas condições de uso. E olhem que Ribeirão se orgulha de ter padrão europeu de ensino e saúde! Teriam elas "bases já instaladas" para o evento?  

Recentemente, soubemos que, em um dos colégios do centro da cidade, não se liga ventilador no segundo andar. Por quê? Por segurança! Isso mesmo! Sendo acionado o farfalhante aparelho, em uma cidade tão quente, há perigo de pegar fogo no prédio.  

No entanto, acalmem-se, futuros candidatos ao Enem! O projeto piloto, a ser implantado no ano que vem, só será realizado em 15 capitais, para cerca de 50 mil candidatos. Paulatinamente, até 2026, aí sim a prova será digitalizada cem por cento. Será?  

---------------------------------------------------
Puntel, lendo que 63 milhões de brasileiros são excluídos digitais. Deve ser fake news!

fonte: ACidadeOn

Faça download da crônica.

 

(16) 3623-6199

Av. Senador César Vergueiro, 590 - Jardim Irajá - Ribeirão Preto/SP