Crônicas do Puntel

UMA LIÇÃO DE HUMILDADE!


 Leitores, respondam na lata, na batatolina, no vapt-vupt, por favor! Vocês se orgulham de dominar várias habilidades? Vejo que sim! Vocês nem titubearam, confirmando enfaticamente que sim! Parabéns, senhores e senhoras!

Pois, quarta-feira passada, eu, que me orgulho por dominar algumas competências, tive várias lições de humildade! E foi preciso fazer setenta anos, para eu descobrir que não sou o rei da cocada preta. Foram precisos mais de 25 mil dias para eu me “cair em si”, e chegar à douta conclusão de que sou um descapacitado em muitas atividades. Aliás, descapacitadíssimo!

                Vamos contextualizar? Convidado que fui, estive na Cava do Bosque, na abertura do II Campeonato Mundial de Futsal Down.     Sentei-me, todo pimpão, ao lado de Sheila Dutra, mentora do projeto FaDa – Família Down e Amigos –, uma batalhadora pela causa das pessoas com deficiência. Conversávamos, quando descobri, do outro lado da Cava, pessoas amigas, os deficientes visuais da Adevirp, jogadores de golbol. Já praticaram golbol, leitores? Nem queiram! Eu já joguei, quer dizer, levei o maior vareio da bola com guizo, pior que um famoso 7 a 1.

                Na abertura do campeonato, entram na quadra patinadoras com síndrome de down e eu me lembrei de quando patinei pela primeira e última vez na vida. Foi um fiasco! Foi só botar os patins e, zuimmm, fui ao chão com um duplo mortal carpado invertido. Terminava ali, naquele cataplófiti, o grande patinador que nunca fui. Quanto às meninas, patinaram à vontade, demonstrando habilidades que não tive e nem daria mais tempo de ter!

                Dali a pouco, adentra a quadra um jovem com um instrumento musical nas mãos. Era o Dudu do Cavaquinho, deficiente com síndrome de down que, simplesmente, nos emocionou a todos, tocando o Hino Nacional. Eu, um ex-futuro-músico desafinado, bati palmas com vontade, com muita humildade! Já viram o Dudu no youtube, senhores? Vale a pena!

                Quando começaram a desfilar os jogadores das seleções de futsal down da Argentina, Chile, Itália, México, Peru, Portugal e Brasil, se é que eu ainda tinha um pouco de vaidade, ela despencou de vez. Eu que nunca viajei nem pro Cazaquistão para um possível campeonato de bolinhas de gude, capotei em lágrimas. Que coisa linda ver as delegações perfiladas, todos os jogadores uniformizados, sorridentes, confiantes!

Quando Ricardo Aguiar, o secretário municipal de Esportes, começou a falar – e como fala bem o danado! -, como um cão pulguento, pus o rabo entre as pernas e, emocionado, fiquei caladinho, com a certeza socrática de que só sei que nada sei!

---------------

Puntel, humildemente assistindo ao vídeo em que o actor espanhol Jesús Vidal, discapacitado, recebe o prêmio Goya de Mejor Actor Revelación. 

Faça download da crônica.

 

(16) 3623-6199

Av. Senador César Vergueiro, 590 - Jardim Irajá - Ribeirão Preto/SP