Professora Ludmila

Professora, como foi o início da sua trajetória na Oficina Literária?

Formei-me em Psicologia na Universidade Federal de São Carlos em 1999. Posteriormente, defendi a dissertação de Mestrado na Universidade de São Paulo, em 2005.

A minha atuação na Oficina começa após o término da graduação universitária, em 2000. Portanto, há 15 anos, faço parte do time da Oficina.

Dessa maneira, a escrita e a literatura sempre permearam a minha vida. Filha de escritor e professores, cresci aprendendo a declamar poesia e a ter prazer na leitura de livros. Em casa, sempre observava meu pai com um livro nas mãos. E todos os livros que ele lia, de certa forma, eu lia também, pois ele fazia questão de dividir a temática do livro com a família.

Como filha de escritor, eu e minha irmã participávamos da elaboração dos personagens das histórias. Existe até uma recordação interessante: os personagens do livro “Um Leão em Família” foram escolhidos por nós. São todos nomes de professores e amigos da época de infância.

Esse mergulho no reino das ideias e das palavras, ao longo da minha trajetória, permitiu seguir os passos de meus pais. Além de exercer a profissão de psicóloga, comecei a frequentar as aulas como assistente, seguindo as orientações do pai-professor.

E meu lado professora foi ganhando espaço, reconhecimento e, como consequência, ganhei maturidade e bagagem pra exercer essa profissão.

Hoje, para aprimorar ainda mais meus conhecimentos, busquei realizar mais um sonho; o de cursar uma segunda faculdade. E não poderia ser outro curso; o de letras.


Como é trabalhar com os alunos do Ensino Fundamental e Médio?

Sempre gostei de trabalhar com adolescentes. Desde a época da faculdade, meus projetos envolveram essa faixa etária.

A leitura, a interpretação de textos e as dinâmicas motivacionais elaboradas para as aulas na Oficina proporcionam aos alunos um embasamento sólido no mundo da escrita. Acompanhar o desenvolvimento textual e mostrar que eles podem ser protagonistas da própria história me incentiva a continuar essa jornada.


Você também é Professora Comunicação Verbal. Como é desenvolver este trabalho?

Ao longo da minha história de vida, sempre tive um perfil comunicativo, de liderança. Durante a minha escolarização, tanto no Ensino Médio como na universidade, ocupava os palcos, as tribunas. Lembro-me de que fui escolhida como representante de sala e também oradora tanto no Ensino Médio como na graduação de Psicologia.

A escolha de ser psicóloga reflete essa busca de poder proporcionar aos alunos o autoconhecimento e direcionar os comportamentos para formas mais comunicativas de se expressar. É certo que o posicionar-se diante de uma plateia para falar em público é um momento que traz medo, tensão, pavor. Dessa forma, a missão de ser facilitadora da comunicação verbal para esses alunos é um privilégio, uma realização.

Por isso, depois de 15 anos de Oficina, fica a certeza de que, como diz o poeta Fernando Pessoa, valeu e valerá a pena continuar essa caminhada, a da Educação.



 

(16) 3623-6199

Av. Senador César Vergueiro, 590 - Jardim Irajá - Ribeirão Preto/SP